HORTUS de Patrícia Portela e Christoph de Boeck
“Hortus” propõe uma ecologia artificial. O visitante é convidado a explorar um jardim onde uma rede de sensores mede a dinâmica do vento e de luz recolhida pelas plantas durante o seu processo de fotosíntese, traduzindo-a num ambiente sonoro.
Quando há movimentação humana no jardim, um algoritmo financeiro (semelhante aos usados na bolsa de valores), interpreta a variação dos dados recolhidos a cada fracção de segundo e altera a instalação sonora original de acordo com a expectativa de «lucro» que estima para cada planta.
Quando em conjunto os visitantes decidem parar para reflectir ou para ler, o desenho sonoro original retorna ao jardim, reflectindo apenas a leitura dos recursos naturais.
Acompanhando a instalação sonora, uma rede de histórias circula em placas botânicas electrónicas comparando definições diferentes para termos comuns (como crescimento, beleza, regeneração ou tempo) no mundo económico, político ou natural.

Salão Utópico
Um ou mais oradores de áreas tão distintas como a ciência, a política ou a filosofia, discutem e debatem com o público duas visões diferentes de um futuro próximo (2020 e 2084). Um convite a praticar e a exercitar a utopia num ambiente informal, imaginando o impossível.
TEXTO 2020 TEXTO 2084

EQUIPA
Conceito e som: Christoph De Boeck
Conceito e texto: Patrícia Portela
Electrónica: Culture Crew
Algoritmos: Luis M. Russo
Construção e design das placas: Brian Rommens e João Gonçalves
Edição de Texto: Isabel Garcez
Produção Prado e deepblue: Ilse Joliet, Pedro Pires, Helena Serra

Co-produtores e parcerias:
Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa) | Kaaitheater (Bruxelas) | ICA (Londres), Festival Van Vlaanderen (Kortrijk) | Embaixada de Portugal na Bélgica | Verbeke Foundation (Kemzeke) | Festival Escrita na Paisagem (Évora) | Câmara Municipal de Lisboa/Direcção Municipal de Cultura | ZDB (Lisboa).

Oradores (BE): Bruno de Lille (Secretário de Estado do Governo de Bruxelas – Partido Os Verdes), Maja Kuzamovic (FoAM), Luc Deleu (T.O.P. Office), Philippe Vandenbroeck (shiftN), Jean Paul Van Bendegem (V.U.B.), Gauthier Chapelle, Gaëtan Dartevelle, Michka Melo (Greenloop), Annemie Maes (OKNO), Guy Gypens (Kaaitheateer), Andrea Carafa (Green Young Economy),  Koen Haagdorens (Dramaturgo NT Gent) e Kurt Vanhoutte (Estudos de Teatro). Oradores (PT - Lisboa):Miguel Real (crítico literário e investigador UCL), André Barata (Prof. de Filosofia), Luís Urbano (som&fúria), Joana Bértholo (escritora), Ricardo Paes Mamede (professor de economia politica), Francisco Ferreira (Quercus), Alexandra do Carmo (Músico, Filosofia), António Carlos Cortez (crítico de literatura e professor), Gonçalo Ribeiro Telles (arquitecto paisagista), Helena Águeda Marújo (Instituto da Felicidade), Bárbara Assis Pacheco (Artista Plástica) e Aida Tavares (Teatro São Luiz). Oradores (PT- Évora): João Ricardo, Professor José Rodrigues dos Santos, Francisco Bilou, Afonso Cruz e António Saias. Oradores (Ljubljana – Festival Mladi Levi): Maja Hawlina, Kyohei Sakaguchi, Janaz Janša, Maska, membros da“the Obrat Culture and Art Association”

TOUR
28 Abril - 13 Maio 2012, Festival van Vlaanderen, Kortrijk, program Sounding City
6- 9 Junho 2012, Burning Ice Festival, Kaaitheater, Brussel
23 Junho - 1 Julho 2012, Maria Matos Teatro Municipal, Lisboa
19- 23 Julho 2012, Festival Escrita na Paisagem, Évora
25 – 28 Agosto 2012, Festival Mladi Levi, Lublijana
5-6 Outubro, Festival Techno-Ecologies, International festival for new media culture, Riga, Latvia (conferência)
12 de Setembro a 31 de Outubro, uma versão reduzida de Hortus acompanha a instalação “Cell “ de Christoph de Boeck na Galeria Fortlaan 17 (espaço que representa o artista Christoph de Boeck).
Jardim Botânico de Coimbra (Programa do Teatro Académico Gil Vicente) - Maio 2013
ICA/London – Programa House on Fire - Junho 2013
Festival do livro de Iowa City - Outubro 2013

IMPRENSA
“Hortus” é simultaneamente u lugar de ficção (…) e um lugar de amplificação de sentidos e ativação da consciência do ambiente envolvente natural.”
Cláudia Galhós in Expresso, 23 06 12

“Hortus é uma experiência de partilha do sensível, onde a interacção entre o visitante e a natureza se sustenta num jogo de não-premeditação. (..) Hortus é ao mesmo tempo, uma instalação e uma intervenção sobre a ideia de comunidade.”
Tiago Bartolomeu Costa in Ypsilon, Público,  22 06 12

“Christoph de Boeck passé à l’investigation du monde vegetal. Puisque les plantes echange des signaux, est-il possible de reconstituer pour elles une infrastructure artificielle de communication, à límage d’internet? À suivre. “
Victoire, De morgen, 26 de Fevereiro de 2011

“neste “jardim filosófico” (…) pensamos andando, (…) e questionamos a nossa relação com a natureza, os caminhos por onde nos leva a economia, e o mundo que nos rodeia.”
Gabriela Lourenço in Visão,  21 06 12

As Boas Notícias – Hortus “Uma proposta de ecologia artificial (a não perder já que parte da autoria deste evento é de Patrícia Portela) com uma instalação sonora que responde a estímulos diversos. Há histórias a acompanhar o som e um salão literário com vários convidados, das mais diferentes áreas, que debaterão o futuro e a sociedade. Provavelmente com melhores resultados do que uma cimeira da ONU”.
Afonso Cruz in Visão, Radar Flashback, 28 06 2012
 




Hortus (video) | Bruxelas - Casa Erasmus (video) | Kortrijk - Festival Van Vlaanderen (video) | imagens | doc extra